domingo, 28 de setembro de 2008

.

o barco de teseu

entre pedaços arrancados
sem voluntariedade
e com nenhuma parcimônia
deu-se teu inflexo externo

às partes jogadas,
a nova intenção:
ser outro, avesso

de quem falam, teseu?
qual é teu barco,
qual eu, o teu?

se o outro te é
tu nada tem que ser

mas se tu és o outro, teseu
aproveita o engodo!
largue o barco
e segue, calado.

.

Um comentário:

Barbara Reccanello. disse...

aah matheeeuss!
quero te abraçar de novo!!!
^^
bjs